A ex-aluna de Serviço Social da FaC, Priscilla Naiara Araújo, foi aprovada, no último dia 13 de setembro, em uma seleção pública para o quadro de assistente social da Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (SEAS).

Priscilla Araújo se formou em Serviço Social em dezembro de 2016 na FaC e vive hoje um dos melhores momentos de sua vida. “Estou vivendo um momento maravilhoso na minha vida tanto pessoal, como profissional, pois vejo que todo meu esforço e estudos valeram a pena e foram, sobretudo, a base para essa conquista, pois, para mim, é a realização de um sonho passar em seleção/concurso para atuar na área de Serviço Social”, relata Priscilla.

A estudante já está se preparando para começar a exercer a função no SEAS. “Esta semana fui na SEAS entregar toda a minha documentação e já irei começar a capacitação para tomar posse, e isso muito me alegra, pois está sendo um período de muitos agradecimentos a Deus por me conceder tantas graças”, comemora.

Priscila diz que a comemoração da aprovação foi em dobro e encoraja os estudantes a não desistirem de seus objetivos. “Meu aniversário foi no dia 19 de setembro, e a aprovação foi meu maior e melhor presente. Quero deixar um ensinamento para as pessoas que estão na graduação, ou se preparando para concursos e seleções: acredite no seu potencial, tenha foco, dedicação e disciplina nos estudos que a vitória virá”, aconselha.

Priscilla lembra que a trajetória do começo da faculdade até a formação e aprovação no concurso não foi muito fácil, mas que isso não fez com que ela desistisse. “Estudava no horário entre 17 e 21 horas que era a hora que chegava do trabalho e me dedicava, seguia esse cronograma. Faltando um mês para a prova, meu notebook pifou e eu não tinha dinheiro no momento para comprar um novo, mas não desanimei, estudei através do meu caderno de anotações, através das xerox que eu tinha e assim foi, e a aprovação veio para a honra e glória do Senhor”, afirma Priscilla.

Com pouco tempo para estudar e tendo que trabalhar o dia todo, Priscilla encontrou em sua família forças para seguir em frente. “Trabalhei durante toda a graduação para poder pagar a faculdade, mas foi o meu melhor investimento e à noite, mesmo cansada do trabalho, eu ia para a FaC com muita alegria, pois ali era o momento que vivenciava grandes momentos com os docentes. Não poderia deixar de citar minha mãe que é o meu maior e melhor exemplo de vida, pois é uma mulher chefe de família a qual muito admiro e que lutou muito para criar eu e minha irmã sozinha”, comenta.

Priscila viu na FaC uma oportunidade para crescer tanto profissional, como no pessoal, e reconhece a IES como uma parte importante na sua vida. “A Faculdade Cearense foi um dos melhores espaços em que já estive, gratidão é o que sinto por todos os docentes do curso de Serviço Social, pois foi um espaço no qual passei quatro anos e no qual conheci pessoas maravilhosas e docentes que me instigaram e me proporcionaram a ser alguém melhor, que instigaram meus conhecimentos e me ajudaram, sem dúvida, a ser quem sou hoje”, afirma.

A Assistente Social continua se especializando e começou a Pós-Graduação em Políticas Públicas e Seguridade Social na FaC, pretendendo usar todo conhecimento que adquiriu para exercer bem o cargo no Centro Socioeducativo. “É um espaço no qual se faz necessária a efetivação dos direitos dos adolescentes que ali se encontram, e garantir esses direitos será minha meta diária”, diz Priscila.

Priscilla agradece ao corpo docente da Faculdade Cearense, em especial sua orientadora no Trabalho de Conclusão de Curso, professora Silvana Maria Pereira Cavalcante. “Gostaria de fazer um agradecimento especial à professora e coordenadora do curso de Serviço Social da FAC, professora Ms. Silvana Maria Pereira Cavalcante, que foi minha professora na graduação em algumas disciplinas e que tive a honra de ter como minha orientadora no TCC, uma pessoa e profissional a qual muito admiro e tenho como um grande exemplo na minha caminhada de vida. Agradeço aos(as) amigos(as) que estiveram ao meu lado na graduação e que continuam na minha vida, me apoiando e me dando forças”, finaliza.


 

 

Revista

×